Prevenindo a cegueira na China: A história do Aier Eye Hospital

Yan Yan era uma menina de 10 anos de idade que vivia com a avó em uma aldeia pequena e pobre na província chinesa de Ghizhou, quando seu irmão, brincando com um arco e flecha, acidentalmente a atingiu. A flecha lacerou seu olho. Todos os médicos a quem Yan Yan consultou imediatamente após o acidente lhe disseram que ela nunca recuperaria a visão no olho ferido. Eles se enganaram.

Os médicos do Aier Eye Hospital Group, cliente da IFC com uma rede de hospitais oftalmológicos especializados em toda a China, ouviram falar sobre o caso de Yan Yan e tomaram medidas para que ela fosse examinada no Aier Guizhou Hospital local. Os peritos da rede hospitalar consultaram entre si via videoconferência e decidiram que Yan Yan deveria ser tratada no Aier Chengdu Hospital, o único na região ocidental da China que dispunha do equipamento endoscópico necessário. Lá um especialista determinou que a gravidade da lesão tinha piorado devido ao atraso no tratamento e determinou uma cirurgia. Yan Yan recuperou uma pouco da visão duas horas após a primeira cirurgia e recuperou a visão completa após a segunda.

A deficiência de Yan Yan é compartilhada por muitas pessoas na China, onde vive quase um quinto dos cegos do mundo. Muitos deles sofrem de causas tratáveis de cegueira, tais como cataratas. Compreendendo que as instituições públicas não dispõem da capacidade de atingir todos os que precisam de tratamento, o Governo chinês implementou reformas para incentivar mais instituições privadas da saúde a entrar no mercado da saúde.

Aier passou de um único hospital em 2002 a uma rede de 100 hospitais em 26 províncias responsáveis pelo tratamento de quase 20 milhões de pacientes.  A IFC apoiou esse crescimento com financiamento, capacitando o Aier a se ampliar e eventualmente levantar fundos por meio de uma oferta pública inicial (IPO).  Com quase US$ 500 milhões de lucros em 2014, o Aier demonstrou que um modelo empresarial eficiente e de alto volume pode prestar serviços de qualidade de forma sustentável.

O Aier adaptou uma rede de múltiplas camadas de hospitais à oftalmologia e a introduziu na China. O modelo de rede reduziu custos por meio de eficiências à medida que hospitais das camadas mais baixas nas cidades pequenas referem pacientes a hospitais maiores e mais sofisticados. Os cuidados preventivos e primários são prestados por meio do departamento de ambulatório com serviços oferecidos em lojas de varejo, clínicas oftalmológicas comunitárias e por meio de parcerias com escolas públicas.

Os médicos e o equipamento são compartilhados em toda a rede. Um cronograma publicado de preço escalonado reduz práticas corruptas por parte dos médicos – à semelhança de coletar pagamentos colaterais ou prescrever medicamentos não necessários. Uma sólida reputação de qualidade permite ao Aier subsidiar preços para pacientes de renda mais baixa, havendo preços mais altos para procedimentos discricionários, tais como cirurgias LASIK, pagos em dinheiro por pacientes mais abastados.  Como resultado, o Aier aceita pacientes, independentemente de seu nível de renda.

Leia mais sobre o caso de Yan Yan e como o Aier aumentou o acesso a cuidados oftalmológicos de qualidade no último estudo de caso da iFC Aier Eye Hospital: Efficient Management Leads to Clear Vision for Millions of Chinese(Uma gestão eficiente leva a uma visão mais clara para milhões de chineses).

 

Para obter informações favor contatar Elizabeth Price, eprice@ifc.org

 

Publicado pela primeira vez em: 03/12/2015

Yan Yan recuperou uma pouco da visão duas horas após a primeira cirurgia e recuperou a visão completa após a segunda.